29 de março de 2014

Direito a preguiça.


Oi gente! Como vocês devem ter percebido fiquei uma semana sem dar as caras por aqui. Vontade não faltou, faltou mesmo tempo e disposição. A verdade é que tenho trabalhado muito e quando não estou trabalhando, me culpo por estar com preguiça. É uma coisa tão louca que mesmo quando eu posso descansar, eu fico tensa pensando nas tarefas e pendências em aberto. Sei que é neurose, não precisam nem me dizer. E sei também que preciso dar um basta nisso. Me dar o direito de ter preguiça e ficar o dia todo no sofá assistindo uma boa série e comendo donuts de baunilha <3


Vivemos em tempos onde não produzir significa quase um pecado. O correto e louvável é quando trabalhamos, estudamos e corremos atrás de mais e mais coisas. Esses dias li um artigo onde pesquisadores afirmavam que já estamos consumindo mais do que a terra pode repor. Não que isso não seja óbvio né? Mas é complicado quando até a ciência já declara o possível fim do planeta e mesmo assim continuamos em nosso ritmo frenético. Sabem... Não precisamos ser os melhores, não precisamos de um carro novo todo ano, não precisamos da maior parte das coisas que pensamos precisar. Na verdade o que quase sempre precisamos é nós dar o direito ao ócio, a livre expressão da nossa criatividade, sem com isso esperar coisas mirabolantes. Afinal, coisas incríveis como a filosofia e a arte quase sempre surge disso.

Porque a vida é simples. E o direito a preguiça devia ser o direito mais inalienável do individuo.  Bom fim de semana preguiçoso a todos :)

6 comentários

  1. é muito foda essa engrenagem, mas é interessante reconhecermos que podemos e penso que devemos assumir que é preciso lutar para o direito à humanidade (ou humanização) dos seres vivos, dos seres produtores, os trabalhadores. Coisa bem diferente é o rolo compressor do tempo como valor, como um valor que precisa se auto-valorizar. Que triste é quando o ócio (que é rico em criação, produção livre, estado de espontanea felicidade e prazer) se torna um crime. Sim, as coisas estão muito fora do trilho.

    ResponderExcluir
  2. Minha mãe diz que há tempo pra tudo: Tempo pra produzir e tempo pra observar. E se esse é o seu estado de espírito no momento, apenas curta a preguiça!

    Sabe o que eu fiz esse final de semana? Dormi o dia inteiro. Acordava, ia pra sala, tomava um toddy e dormia de novo. Sem culpa e sem cobranças. Nós merecemos.

    ResponderExcluir
  3. a doce arte de não fazer nada é fundamental.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com vc Jess!
    Menos culpa, mais VIDA!
    Enquanto a gente ocupa a cabeca e o corpo se matando de trabalhar, procurando ser, procurando ter, mais e mais, cada vez mais, a vida ta passando! o tempo nao para...
    Mas nos devemos parar sempre que sentir necessario ;]

    Eu faco isso sem culpa! Eu mereco.. rs
    Bom te ver de novo de toda forma, mas qdo o sofa/cama/ocio chamar, atenda sempre ;D

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Jess, me encontro neste mesmo estado, quando posso ficar numa boa me sinto mal, fico tentando lembrar se tenho algo pra fazer. Mas é isso aí, temos que relaxar! DIREITO A PREGUIÇA o/

    ResponderExcluir
  6. preguiça é um dos pecados mais deliciosos, depois da gula, claro hahaha
    eu também fico neurótica quando fico sem fazer nada, mas ultimamente tenho aproveitado muito meus momentos preguiçosos e com muito gosto.
    domingos são praticamente os dias em que eu mais vivo minha preguiça, intensamente...

    gosto de me sentir produtiva, mas tenho certeza de que uma dose de preguiça não faz mal a ninguém... muito pelo contrário, nos descansa, nos recicla, nos inspira.

    www.petitemanie.blogspot.com

    ResponderExcluir

♥♥♥♥ATENÇÃO ♥♥♥♥

Caso queira receber sua resposta por e-mail, selecione a opção "notifique-me" no canto inferior direito do campo de comentários ;)

Latest Instagrams

© Criativo Caos. Design by FCD.