15 de março de 2014

Um pequeno debate sobre o veganismo

Sempre me perguntam se sou vegan, ou mesmo vegetariana e a resposta é sempre a mesma: Não. Eu particularmente não gosto muito de carne, nem mesmo frango, carne de porco eu geralmente não como e também não gosto muito de derivados puros de leite, com exceção do queijo, leite condensado e creme de leite. No geral, gosto muito mesmo é de verduras e legumes, assim como tudo que é derivado de grãos. É meu paladar e desde pequena já tendia pra uma alimentação mais "natureba". Embora seja apaixonada por peixes e ovos. E de tanto entrar na fila dos vegetarianos em alguns restaurantes, muita gente acabou tendo essa visão de que eu era vegetariana, mas não, não sou.

meu primeiro hambúrguer vegan
Simplesmente na maior parte das vezes, prefiro um bolinho de brócolis a um bife acebolado. Porque gosto mais de brócolis que de carne. Simples assim, sem maiores discussões filosóficas. Eu sinto que ultimamente virar vegan se tornou um certo status social e as pessoas tipo mentem que são vegans quando comem ovo, chocolate (sim, chocolate TEM LEITE! hehehe) e outras coisitas mais... Pra que isso?? No fundo eu acho que o veganismo precisa mais do que nunca, ser debatido seriamente.

Eu costumo ouvir tanta baboseira sobre o tema, que chega a revoltar. De gente que diz que quem come carne é mais inteligente, a pessoas que defendem que os animais foram criados para servir os humanos, sério, é cansativo. No entanto, eu não concordo que o problema seja necessariamente o consumo de produtos de origem animal, por isso acabo também não me identificando totalmente com os vegans. E entre esses 2 polos opostos, tenho refletido muito sobre essa questão nos últimos meses. Acerca do consumo desenfreado de carne e essa alienação da humanidade diante da natureza. Até quando isso?

Acho que a coisa que mais incomoda é o pensamento de que somos donos do mundo. Essa mania de grandeza do homem achar que tudo está ao seu dispor é o motivo pelo qual o planeta terra está morrendo pouco a pouco. E ai vem aquelas pessoas que vão defender o consumo de animais sob a justificativa de que "foram criados para o homem" mas isso é uma grande baboseira. Nem vou me alongar a debater isso, porque é o mesmo que ter que explicar que o universo não gira em torno da terra.

"Os animais do mundo existem para seus próprios propósitos. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens."  Alice Walker


Historicamente o homem se constitui enquanto um ser que se apropria da natureza para criar seus próprios meios de subsistência, sem depender dela totalmente. Isso acaba por iniciar um ciclo interminável de evolução baseada da falsa ideia que somos mais poderosos que qualquer outra coisa do mundo, porém a bem da verdade é que continuamos sendo como animais, vivendo em simbiose com o universo e totalmente dependente da natureza. Por isso, instintivamente, no fundo, a maior parte de nós teme que nossas ações estejam destruindo em demasiado o planeta e que com isso, um dia não terá mais volta.

Você já pensou que as próximas gerações podem não existir mais?

Mais do que nunca é preciso repensar atitudes, posições, pensamentos... E eu tenho pensado muito sobre isso. Não sou partidária da abolição total do consumo de animais na alimentação humana, pois assim como uma série de organismos sobrevive a partir do meu corpo, e os fungos e larvas vão me consumir um dia, vivemos em um ciclo alimentar de dependência, onde nós consumimos animais também. Acontece que isso não pode ocorrer com a crueldade e da forma desenfreada que ocorre hoje, e acima de tudo, não pode nos fazer achar que temos o direito de criar animais para consumo próprio. Porque na minha opinião é muito diferente você pescar um peixe para consumo próprio, a você achar que tem o direito de escravizar os animais e faze-los viver em função da sua alimentação. E esse post é sobre isso, sobre posturas e mudanças que precisamos começar a ter diante do mundo. Mas é também é sobre os problemas que encontramos para mudar de atitude. 

Como disse inicialmente no post, não sou vegana. E isso pode parecer contraditório como todo o tom do texto acima, então é preciso que eu me explique. Eu não sou contra os vegans, acho até muito bacana e sempre que posso, dou todo apoio. Acontece que esse é um movimento de uma classe muito privilegiada da sociedade e não se sustenta no nosso modelo de organização social. Quero dizer com isso que, apesar de importante, da forma que se dá hoje, é insuficiente, porque não toca na causa do problema. Por isso acaba sendo algo restrito a quem pode se dar ao luxo de viver dessa forma, mas não causa o impacto necessário para uma mudança mais profunda.

Uma coisa que aprendi bem nova é que a miséria, a opressão, a escravidão, a desigualdade e a exploração só não acabam porque dá lucro. Essa frase muito difundida, expressa uma sabedoria de séculos, pois há muito sabemos a causa de quase todos os problemas sociais que enfrentamos atualmente. A nossa forma de organização social, que permite que a acumulação de capital seja o único direito mais primordial do homem, gera uma situação onde aqueles que já possuem o mundo, acumulem cada vez mais, formando mega corporações cujo único objetivo é o lucro. Lucro esse que como citei acima, se sustenta sob os pilares da miséria, escravidão, desigualdade e exploração. Acabar com essa desgraceira, não pode seguir outro caminho se não aquele que prevê o fim da organização social que visa apenas o lucro, todas as coisas além disso apesar de extremamente importantes, não conseguem transpor a barreira que efetivamente nos separa de um mundo efetivamente racionalizado e humanizado.

Um exemplo muito claro disso é que apesar de ser muito mais racional e sustentável uma alimentação baseada em produtos de origem vegetal, encontramos nos mercados desse ramo uma situação inacessível. Alguém já tentou comprar um leite de soja condensado? Custa 4x o valor de um leite condensado de origem animal. É muito mais caro e danoso ao ambiente cultivar animais para consumo humano, mas chega a população de forma muito mais acessível, porque dá mais lucro, então é a demanda do mercado. Com isso, quem pode consumir produtos veganos simplesmente são aqueles que tem uma condição de vida mais favorável, uma pequena classe média conscientizada, que acaba tendo que investir nessa nova opção de vida.

E é triste esse cenário, porque nos mostra o quanto estamos longe de um mundo pautado pela ciência e pela razão, apesar de acharmos que somos evoluídos pra caramba. 

Por tudo isso, eu quis fazer essa pequena reflexão acerca do veganismo. Entendo que chegamos em um limite, porque muito se difunde na internet acerca da importância da redução do consumo de produtos de origem animal, mas as condições para essa mudança de vida, não existem para a maior parte da humanidade. Porque enquanto debatemos acerca de mudança de hábitos, alguns milhões de pessoas ainda lutam simplesmente para sobreviver da desnutrição. E é uma aparente aporia, porque apesar de muitos veganos defender que é uma questão de cultura e hábitos eu defendo o contrário: é uma questão da realidade concreta de cada um. Porque não importa se eu tenho consciência de que consumir produtos de origem animal de forma tão constante é algo ruim, se eu não tenho condições concretas de consumir outras alternativas, eu não mudarei de hábitos. Uma coisa não exclui a outra, eu entendo por uma relação dialética. É preciso conscientizar, mas é preciso também transformar as relações de produção da sociedade.

E minha reflexão é meio que essa. São diversos pontos para ambos os lados refletirem. Para quem é vegano e para que não é. Como podemos efetivamente caminhar para o mundo racionalizado e humanizado que almejamos? Eu tenho as minhas hipóteses e gostaria muito de ouvir a de vocês. Acho super importante a presença do debate acerca das outras alternativas ao consumo de produtos de origem animal e inclusive tenho testado várias delas para caminhar rumo a uma mudança de hábitos. Mas entendo que isso não pode bastar, é preciso que a gente não se esqueça de quem é o verdadeiro inimigo acerca de tudo o que criticamos.

Por isso deixo o convite para o debate através dos comentários. É sempre bom ver outros pontos de vista!

Um beijão :D


26 comentários

  1. bom o texto minha cara jess. ;)

    é bem interessante constatar, como você fez, a pertinência para a consciência; e quando você aponta que é o hábito, é interessante pensar que o hábito se faz pela repetição, pelo costume, que faz com que algo se torne "automático", rotineiro. E a rotina só pode ser alcançada à medida que a humanidade tem condições reais para transformar algo em cotidiano, habitual. O nicho do mercado vegano expressa que isso é uma atual impossibilidade.

    Do ponto de vista da realidade mundial, essa não pode ser a luta que está na ordem do dia; enquanto milhares morrem de fome, tendo a África como triste modelo de miseria, uma crescente "africanização do mundo" do ponto de vista dessa miséria ser exportada a todos continentes. E sem falar na produção de alimentos que é destruída para valorizar o preço das mercadorias do ramo alimentício (carnes, frutas, verduras, trigos, etc). Portanto, é um crime político colocar a discussão - que os veganos insistem - em uma distinção da produção de alimentos e de verduras sem colocar no horizonte histórico, da produção capitalista. Assim, todo vegano deveria ser um radical anti-capitalista, e defender a derrubada desse sistema, e defender a nutrição dos "des-nutridos" pelo mundo, tendo como horizonte posterior, a re-adequação alimentar com bases mais racionais. Pois, hoje, pregar o veganismo como prática é uma ideologia como outro qualquer, que projeta um ideal que paira na superfície, e para alguns é sonho, e para outros, puro desprezo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo inteiramente.

      Mas como sempre conversamos, eu entendo que a consciência tem parte importante no processo. Por isso que ambos são importantes.

      Que a gente possa construir um novo mundo e uma nova consciência.

      Excluir
  2. Excelente post, Jess. As pessoas estão ficando cada vez mais radicais, e não encontram um equilíbrio entre os dois pontos abordados. TNão concordo com essa matança exagerada e desnecessária de animais, e poxa, sério que ainda existem pessoas que declaram que os animais foram feitos para servir? Bom, contra esta ignorância não há argumentos.
    AMei teu post, Jess. Sinto que alguém tinha que falar sobre isso.
    Beijao <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a maior parte das pessoas alega que os animais estão ai pra gente comer mesmo :|

      E olha, eu nem acho que elas são radicais, porque no fim não vão na raiz do problema. Acho que é uma atitude extrema, que é super válida, e que nós vemos que não transforma a realidade :/

      Infelizmente. quem dera pudéssemos mudar o mundo com boas atitudes.

      Excluir
  3. Posso assinar embaixo do seu post? Você disso tudo o que eu sempre pensei a respeito da maior parte dos veganos (digo aqueles que fazem pela moda).

    Por causa da minha saúde eu vivo com base em uma dieta bem restrita que proíbe qualquer tipo de carne, laticínios, ovos e basicamente qualquer coisa de origem animal. Eu nem preciso dizer a dificuldade que é, muitas vezes eu prefiro passar mal porque não encontro certos produtos com facilidade ou então eles simplesmente tem preços absurdos.

    Eu concordo contigo. O problema da alimentação mundial (que engloba como criamos nossos animais) vai muito além de comer carne de soja ou não. É preciso pensar em uma reforma de base que englobe desde quem produz até quem consome esses produtos. Essa infelizmente não é uma tarefa nada fácil.

    Ótimo texto Jess, eu realmente adorei sua sinceridade!
    Abraços
    bossanv.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! :D

      Não é mesmo nada fácil. Mas é necessário. Até porque, a quantidade de pessoas que tem o mesmo problema que você é bem maior do que a gente imagina. E é absurdo as pessoas terem que passar mal porque de repente as outras alternativas viraram um nicho de mercado da classe média.

      :(

      Excluir
  4. Jess, estou na mesma situação que a sua. Eu nunca fui fão de carne, às vezes eu como, mas não porque quero, meu médico disse que pelo menos um dia da semana eu tenho que comer carne, mas eu simplesmente não gosto, não me sinto bem comendo e não gosto de pensar que uma vida foi sacrificada para me alimentar, sei lá... é muito estranho isso.
    Sou mil vezes comer frutas, legumes e verduras do que comer carne vermelha e carne branca, além de hoje em dia esses tipos de carne serem totalmente cheios de hormônios para que cresçam mais rápido, coisa que faz super mal pra saúde.
    Também não sou vegetariana, mas já fui...só que por questão de saúde tenho que comer carne.
    Mas seu post está show!! Hehehe.
    Beijos. www.danielices.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada! :)

      Infelizmente nem todo mundo consegue fazer essa transição. Conheço alguns amigos vegetarianos que tiveram de tomar tanto suplemento pra conseguir ficar em pé que é uma droga.

      Eu penso que é como qualquer outro vício. Nosso corpo se adaptou a proteína animal, e até a gente se livrar dessa dependência que é física e psicológica, é um sofrimento :/

      Excluir
  5. Oi Jess,
    Teve uma época da minha vida que aboli a carne, mas aí sem orientação médica acabei passando mau, pois sempre tive um peso ruim. No meu curso de Adm até assisti o documentário: A Carne é fraca e aí que fiquei com mais vontade ainda de eliminar certos alimentos, na verdade me chocou bastante. Hoje, se pudesse me alimentaria diferente sim, pois tenho a consciência do que certos produtos causam, e também não sou fã de carne, como você mesma disse o difícil é o custo. Tentei por um mês comprar alimentos mais saudáveis, como os integrais, por exemplo, mas além de serem mais difíceis de encontrar - principalmente quando se mora perto de mercadinhos - o custo é o dobro do normal. Sinceramente, até a feira está absurda! E aí fica complicado demais, porque não tenho condições de manter uma vida assim, infelizmente.
    Bjoks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato. Eu também não. Pelo menos não totalmente.

      A começar que plano de saúde não cobre nutricionista. Mesmo tendo uma lei, a maior parte não cobre. Não dá pra iniciar uma mudança radical sem acompanhamento de um profissional. Os produtos são caros e como você disse... A feira está impossível.
      O brócolis aqui tá mais caro que a carne. É sem condições.

      Excluir
  6. Oi Jess,

    Gostei mto de tudo que vc falou; apesar que no fundo, tudo se resume a: governo e dinheiro!
    Pessoas que nao estao mto ai pras outras, imagina pros animais?
    Um mundo onde o lucro fala mais alto que tudo.
    E infelizmente, pessoas que lutam por uma mudanca de fato - sao a minoria!
    Eu acho que hj em dia quase tudo eh moda; entao sempre tento me manter oposta a isso.
    Mas confesso que gosto de carne; apesar de nao sentir falta se nao comer por alguns dias. Nao eh algo necessario pra mim, mas se eu falar que nao gosto, estaria mentindo!
    Assim como ja tentei comer mais coisas integrais, mas nao me desce! arroz por exemplo.
    Sei que na minha cabeca, acho que alem da crueldade aos animais, eles enfiam mtas coisas prejudiciais a nossa saude; que infelizmente nao temos controle sobre isso.
    E ae vem mais debate... como a cura do cancer por exemplo; que eu tenho certeza que mtos medicos ja sabem, mas nao falam justamente pelo tratamento e remedios darem "lucro"!
    Pois ja eh meio que provado que comidas processadas, hormonios em carnes e por ae vai.. podem causar cancer neh!?
    E ae volta novamente pro homem! acabando com a natureza e com si mesmo!
    Eu rezo e espero que na geracao dos meus netos ou bisnetos, o mundo realmente tenha mudado pra melhor! e nao acabe ou entre num estado de calamidade.
    Mas enquanto isso, eh so fazer a minha parte msm e esperar que mais pessoas aparecam, como vc ;]

    PS: seu prato me deu agua na boca :~~~~~
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha, é esse o ponto. No fim, a maior parte das pessoas sabem dessas coisas, mas nos sentimos meio que atados, seja por hábito, ou por falta de condições de consumir alternativas.

      Para mim esse é mais um motivo para brigar pela mudança social da nossa forma de organização. Eu tenho muito medo de vivermos em pouco tempo uma situação limite. O que você falou acerca do câncer, a gente sabe que é bem possível porque existem milhares de documentários que tratam dessa questão e tantas outras de saúde pública, onde o lucro se sobrepõe ao bem estar das pessoas.

      Precisa mudar. E eu acho que cada vez mais nós temos certeza disso.

      Obrigado pelo comentário!!

      Excluir
  7. Oie flor tudo bem?
    Gostei do seu post, bom eu gosto de comer carne de vaca, carne de frango, peixe e p/ ser bem sincera, não curto muito salada mas estou mudando minha dieta, vou passar a comer mais saladas e alguma proteína na parte da noite, pois assim não acumula gordura localizada kkkkkkk que isso me irrita e muito, adoro sucos detox e estou passando a adotar mais isso p/ minha dieta, espero que dê certo kkkkk.
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  8. Jess, acho que equilíbrio é mesmo a palavra! Eu também sempre tive uma alimentação boa, herdada felizmente dos meus pais. Sempre tinha arroz, feijão, uma carne e salada ou legumes no prato. Sem neuras, quando não tinha carne, tinha os legumes e ás vezes tinha somente a carne. Como nasci no sítio, era comum matarem animais para comer, cresci vendo minha mãe depenar galinhas,rs, pra mim era normal, fazia parte do nosso meio. Mas agora, depois de adulta, tenho que ouvir discursos fervorosos e defensores se digo algo assim para determinado grupo de pessoas. Os "donos da razão", sabe? Sou contra todo tipo de radicalismo e comer ou não comer carne é uma escolha pessoal, não se deveria ser atacado ou julgado por isso, concorda?
    Eu adoro um bife com arroz e feijão sim, mas quando vou no shopping corro atrás dos pratos de salada. Ser descomplicada é normal! E daí? rsrsrs
    Adorei o seu post-reflexão,
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elza, eu acho compreensível que algumas pessoas achem desprezível quem mata animais. E se formos pensar eticamente, é mesmo, algo triste. Também cresci com minha avó matando galinhas, então é meio que isso, a gente naturaliza certas coisas.

      mas é preciso refletir mais acerca disso. Se o radicalismo dos vegans mudasse a situação que eles criticam eu não acho que seria tão ruim. O problemas é que como eu disse, não toca naquilo que é o fundamento, e portanto acaba virando ofensa por ofensa :/

      Excluir
  9. O post está perfeito, mas preciso digerir com cuidado para assimilar muitas informações importantes expostas aqui e até então desconhecida por mim, principalmente agora, que estou numa fase delicada, em que uma carnívora assumida precisa pegar leve em nome nome da saúde. =(
    Certamente eu não apareci aqui hoje por acaso. ;)
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber disso :) que a reflexão possa te ajudar nesse processo.

      Excluir
  10. Acho que nem tanto nem tão pouco. Considero e respeito o estilo vegetariano de ser e tenho bons motivos para isso. Um deles é que desde que comprei uns produtos naturais para tratar meus cabelos tenho obtido excelentes resultados. E ao contrário do que a maioria pensa não são exatamente os bons que são caros.
    Impossivel ler seu post e não me identificar pois aqui em casa temos uma inclinação a ingerir pouca proteína animal porém não me considero vegetariana por isso. Meu irmão, por exemplo, quando almoça fora tende a escolher um restaurante vegetariano, pró-biótico e derivados. E eu mesmo que no self service tenha variedade de carnes, só como se tiver com muita vontade e um pedaço mínimo.
    Enfim as pessoas são terrivelmente influenciáveis e acham que podem seguir quaisquer tendência sem questionar se aquilo lhes é verossímil de algum modo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que nem tanto nem tão pouco

      é isso! Tenho sempre muito cuidado ao debater essas questões porque as vezes as pessoas entendem como um: "olha pode comer carne a vontade que isso não muda anda", e no entanto é o contrário disso. Acho que quem tem consciência e condições deveria ser a vanguarda dessa mudança. Sem esquecer que o resto do mundo não o faz, pelas tantas questões que citei no post.

      Excluir
  11. Primeiramente, saudades imensas de você!

    Sobre o post, preciso dizer que sim, acho cruel que animais sejam criados para servirem de alimento para os homens. E por incrível que pareça, só consegui pensar sobre isso, e dessa maneira, depois que adotei Dora (minha cachorrinha)! Imaginei que, numa situação hipotética, se eu tivesse adotado um porco, ou uma vaca, muitas pessoas olhariam pra meu amiguinho como alimento. E juro, fiquei triste sobre isso!

    A ideia de que os animais têm consciência de si (como muitos estudos já provaram que sim) me deixa ainda mais horrorizada com a situação.

    Acontece que modificar hábitos alimentares é tão difícil quanto se livrar de um vício. E não que não goste de verduras e vegetais. Amo, e os consumo muito (embora eles também tenham um sistema nervoso primitivo).

    Sobre a questão do lucro e tal, discordamos um pouco de visão!
    Mas isso é assunto pra outra conversa hihihi!

    No mais, acho que levantar esse tipo de discussão é ótimo, saudável e inspirador! Quem sabe, as novas gerações não sejam menos cruéis que a minha? Quem sabe, educaremos nossos filhos de forma melhor?

    Essa é a minha esperança!

    Beijinhos e até!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :D

      que bom te ver aqui. te espero outras vezes!!!

      Excluir
  12. Eu fiz um trabalho sobre os Vegans no 2º ano da faculdade e eu realmente eu fiquei muito admirada pela conscientização e conhecimento que a grande maioria das pessoas que são vegans tem sobre o veganismo, é muito diferente de qualquer outra.
    E acredito que comer ou não carne não altera que tipo de pessoa ela é.
    Adorei seu post
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Argumentos veganos:
    1. Comer carne não é ético:
    A Ética é uma coisa pessoal, que está baseada em 03 princípios: a lei, a moral e os costumes. Ora, se comer carne não fere nenhum desses princípios, por que não é ético? Quem define o que é ético para todos? Os veganos?

    2. A alimentação vegana é mais saudável.
    A inúmeras controvérsias contra essa afirmação, nutrientes como a vitamina b12, a carnisitininia, a taurina e o ferro-heme só são encontradas nas carnes que também são as melhores fontes de zinco. O certo é que uma alimentação equilibrada e variada é mais saudável, os veganos geralmente são saudáveis porque fazem acompanhamento médico e a maioria das pessoas creófilas não.

    3. O Impacto Ecológico da pecuária é enorme.
    O da Agricultura em larga escala também, a melhor forma de produzir alimentos para milhões de pessoas é a Integração Lavoura Pecuária. Se informe sobre isso no google.
    Além disso, a produção de papel gera muito mais impacto ambiental que a pecuária, os veganos não pensam nisso quando imprimem milhares de panfletos pra defender sua causa.

    4. Os animais sofrem muito nas fazendas.
    No Brasil predomina o chamado "Boi Verde" que é aquele que é criado solto no pasto, lá eles tem bastante espaço e só sofrem mesmo na hora do abate, a morte de qualquer animal mesmo numa floresta sempre envolve dor.

    5. Podemos viver sem explorar animais.
    NÃO PODEMOS, mesmo se conseguíssemos alternativas veganas para todos os milhares de produtos produzidos a partir do animal e encontrássemos uma maneira segura de fazer testes clínicos em remédios sem cobaias, e se fosse viável trocar todas as carroças e charretes por carros, seria um desastre ecológico trocar tudo que é orgânico (e portanto biodegradável) por sintético (que não é), e a queima de combustíveis de tantos carros e tratores que substituiriam os carros de bois, carroças e charretes seria catastrófica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandro, algumas coisas que você pontua são bastante coerentes, outras absurdas. E não entendo que você as pontue dessa forma, porque parece até que não leu meu texto.

      Deixo bem claro que para mim o problema não é o consumo de produtos de origem animal. Vivemos em um universo com uma cadeia alimentar e etc, alguma hora vamos ferir alguém, seja um inseto, um animal, ou uma planta. Não acho que isso seja o problema.

      O problema é acharmos que o mundo está a nossa disposição. E a maioria dos humanos acha isso. Seja porque acredita em um Deus que "criou tudo para o homem" ou porque nunca se perguntaram o que tem além das estrelas. pois é, o universo é enorme e totalmente INDEPENDENTE da humanidade. Nós não somos praticamente nada diante disso e é ridículo acharmos que os animais, ou a água está unicamente para nos servir.

      Segundo que SIM, no atual sistema econômico que vivemos é cruel e irracional a "produção" de animais para o abate. Cruel porque na maioria das vezes é feita de forma a tirar o animal do seu habitat e deixa-lo vivendo presos até a hora do abate. Não estou falando do BRASIL, estou falando do mundo. Não me importam apenas os "bois brasileiros". E como eu disse, não se trata de dor, se trata de achar que podemos prender os animais para nosso uso. Como se fosse coisas que podemos nos apropriar.

      Além do mais, é irracional porque há DIVERSOS estudos que provam que o consumo de carnes como bois e derivados não fazem tão bem a saúde. Dai é uma questão de muitos pontos de vista (concordo!) mas existe esse outro lado também. E alias, é consenso que o consumo excessivo de carne faz mal. O ideal seria que consumismo de 1 a 2 vezes por semana. Ou seja, de toda forma,nosso consumo atual é desmedido, irracional e não faz esse bem que você alega fazer.

      Enfim. Deixei bem claro que não sou vegana e provavelmente não serei nunca. Porém isso não exclui o fato que estamos errados em muitas coisas e simplesmente querer justificar as coisas como estão como SE NADA estivesse indo mal, é tão estúpido quanto um vegano extremista que não percebe que aquilo nunca levará a raiz da questão.

      Excluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Só pra esclarecer, eu escrevi muito e acabei não esclarecendo. Não escrevi contra seu texto, até porque concordo com ele, escrevi contra os veganos que acham que são mais éticos, politizados que os outros porque não comem nada de origem animal.
    Isso é uma questão pessoal, que só indica uma coisa, a pessoa não come carnes.

    ResponderExcluir

♥♥♥♥ATENÇÃO ♥♥♥♥

Caso queira receber sua resposta por e-mail, selecione a opção "notifique-me" no canto inferior direito do campo de comentários ;)

Latest Instagrams

© Criativo Caos. Design by FCD.