12 de abril de 2014

Sobre continuar e insistir

Estou cansada. Estou tão cansada que pensar em sentar no sofá e assistir um filme me cansa. Apenas queria apertar o avançar e pular essa etapa, mas não, não posso. Preciso continuar e parar de pensar em desistir.


Eu nunca fui de desistir das coisas - quem me conhece sabe - porém ultimamente tenho tido uma vontade monstra de abandonar tudo e ir morar em uma cabana na praia. É um total esgotamento do meu modo de vida - no meio do CAOS de Sampa hell city, somado a uma total desesperança no brasil, no povo brasileiro e em qualquer perspectiva desse cenário horrendo que vemos ai fora. É cansativo, o conformismo, os impostos que estão comendo nossa alma, e o quanto temos de trabalhar para viver com o mínimo de dignidade. E em meio a tudo isso, eu me pergunto: para que diabos quero me formar como pedagoga? Uma profissão desvalorizadíssima, as custas de uma formação tão pesada como a minha?

Veja bem, sou feliz com o design. Tenho muitos clientes, trabalho não me falta e os planos são de expandir. Porém eu gosto da educação. Eu queria ser professora um dia, e queria viver em um mundo onde isso não fosse sinônimo de falta de opção. Queria muito que as pessoas valorizassem os 6 anos que passei em uma universidade lendo e discutindo os mais diversos pontos de vista do ser humano, da sociedade, da educação... Porém isso não existe aqui. As pessoas não valorizam, o estado não valoriza, absolutamente ninguém valoriza. E nem eu mesmo tenho conseguido valorizar ultimamente. 

Estou na reta final, final, final. Finalmente comecei o TCC pra valer, faltam menos de 5 disciplinas para eu concluir o curso e a temida residência, mas tudo que consigo pensar é: desistir, desistir, desistir. Não vejo nenhuma perspectiva em insistir nisso, mas de alguma forma, me agarro a ideia de que se eu desistir agora, nunca vou me perdoar, que lá na frente talvez isso faça uma enorme diferença. Não sei ao certo se é loucura, porém eu acho que essa cultura de desistir do que "não nos faz bem" também não é a saída. Porque a vida é dura mesmo e as vezes, temos que insistir e brigar para chegar até o fim.

Nem que o fim seja apenas para provar para nós mesmos que conseguimos superar aquela etapa.

tenho me apegado a isso e força na peruca! hehehe

Como um diário pessoal, me sinto confortável as vezes para escrever sobre coisas não tão bonitas, não tão criativas. A vida não é sempre perfeita (alias, quase nunca é) e no mundo da internet parece que a gente esquece um pouco disso. Por isso meu desabafo, porque no momento me encontro lutando contra uma enorme vontade de desistir de algumas coisas que eu sei que não posso desistir. E queria jogar para fora e dizer que se você também se sente assim, não está sozinho. Tem outra pessoa aqui, que sente o mesmo que você!



16 comentários

  1. Chega um momento que se não dá certo, a gente desisti. Mas o sucesso vem com persistência! Chore se for preciso, grite,mas não se perca :))

    www.chadecalmila.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo12.6.14

      Encontrar um motivo para que nunca desista é persistir,em algo que lhe faz mal,e muitas vezes te faz bem,encontrar forças onde já não existe,equilíbrio onde só se vê desequilíbrio,é se fortalecer e creditar nas forças de um DEUS que não vemos mas sentimos,é como o vento que não vemos mas sentimos,é encontrar dentro do ego a força da persistência,é olhar nos olhos dos meus filhos e saber que eles precisam de mim e encontrar forças suficientes que mesmo estando estraçalhada por dentro ainda consigo demostrar, e meus sembrantes e lutas,que existe algo além do que conhecemos para nos fortalecer e nos manter de pé........

      Excluir
  2. Nathália12.4.14

    sabe... comecei o curso de pedagogia agora.. e sim estou absurdamente assustada com a desvalorização em relação ao curso.. ontem mesmo uma senhora perguntou na universidade, qual curso eu fazia e eu disse, pedagogia e ela entao perguntou "ainda usam isso?" kkk mas enfim.. tbm quero estudar a educação pra poder fazer a diferença... eu não pretendo ser professora de educação infantil.. pretendo ser empresária, tentar uma educação ligada à criatividade, inovação (tem gente que acha loucura pensar assim ) ... sim.... eu ainda estou mt perdida e a única coisa em que tenho me agarrado é em pensar que eu posso fazer a diferença e que eu não preciso do luxo, que eu preciso fazer meu papel na sociedade de forma que eu possa crescer e ajudar os outros... mas é fato de que algumas vezes eu pense que não estou no lugar certo, com as pessoas certas... porém.. é se apegar à um ideal.. esse é o mal de ser uma pessoa extremamente idealista... kkk

    ResponderExcluir
  3. Jess, eu sou pedagoga recém formada e entendo esse sentimento. A verdade é que me pego boa parte do tempo pensando o porquê de ter escolhido pedagogia. No começo, meus motivos eram os mesmos que os seus, mas depois eu acabei desanimando e já estava na reta final, ou seja, não desistiria. Frequentemente me flagro pensando em fazer outras coisas e a verdade é que essa vontade é quase um plano de vida, quero me formar em algo completamente diferente do que sou formada agora, mas o medo de acabar não gostando de novo e descobrir que na verdade eu é que não sou boa em nada me apavora! Enfim, boa sorte na sua conclusão de curso e boa sorte nos anos seguintes! Os meus têm sido difíceis, mas não sou uma desistente, assim como você demonstrou não ser.

    ;)

    ResponderExcluir
  4. Nem sempre estamos dispostas a escrever coisas bonitas e enfeitar a leitura alheia, às vezes é preciso deixar o coração falar mesmo que sirva apenas como desabafo. Gostei do teu post. :)

    ResponderExcluir
  5. Pois é, ser professor nos dias de hoje é uma escolha difícil, que envolve paixão e comprometimento. Sei disso e vivo isso há quase dez anos. Mas com toda dificuldade não me arrependo, costumo brincar que sou professora militante, daquelas que defendem a profissão até a morte. Com o tempo a gente aprende muito, aprende a lutar, a recuar e principalmente a não desistir.
    Acho tua escolha bacana, precisamos de professores engajados e que acreditam no que fazem, precisamos de professores que aprendam a olhar o outro. A querer fazer a diferença. Bacana tua persistência, já é um passo importante pois você vai precisar muito dela.
    Hoje vivo uma fase em que apesar das dificuldades sei que não conseguiria fazer outra coisa da minha vida que não fosse dar aula. Força.

    ResponderExcluir
  6. Jess, eu curso Pedagogia também. Muitas vezes já me 'peguei" nessas questões e dúvidas, tipo, "será que eu quero mesmo ser pedagoga?".
    Na minha sala, me sinto deslocada, ás vezes, porque todas as meninas já trabalham na área da educação e eu ainda não. Elas relatam situações bem desanimadoras, mas fico pensando que isso tem em toda e qualquer profissão, não é mesmo? Eu escolhi esse curso porque minhas irmãs são pedagogas e também porque eu gosto de crianças, quero trabalhar com educação infantil, pois lá no fundo, dentro de mim, ainda há uma esperança de que esse é o caminho para as coisas mudarem no futuro: olhar para as crianças de hoje! Elas precisam de orientação, educação, cuidado e direcionamento mais do que nunca!
    Mas muitos são os dias de desânimo com os meus estudos. Já pensei em desistir sim, mas ignorei o pensamento pelo mesmo motivo que você. Como eu poderia viver comigo mesma depois de desistir assim?
    Falta só um ano e sim, eu vou até o fim!!!
    Parabéns pelo desabafo :)
    Tenha fé e siga em frente...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Todas nós passamos por essas fases, de querer jogar tudo para o alto e fugir né? Mas tenha força e esperança, você irá vencer essa fase!
    bjssss e boa semana!

    ResponderExcluir
  8. meu ♥
    também venho trazendo cada vez mais esse lado pessoal pro meu blog e isso tem me feito um bem danado. às vezes chega alguém lá dizendo que eu consegui expressar o que ele/ela tava necessitando e eu me sinto uma chica xavier hahaha é muito gratificante.

    por isso senti algo diferente aqui no seu blog, pois mesmo nos posts menos pessoais, sempre tem uma gotinha de personalidade e opinião e a gente acaba te vendo em cada um deles.

    eu me desanimo muito com o brasil, mas ainda não tenho muita opção. não posso pegar a mala e fugir pruma cabana nos alpesss... ainda nem passei no vestibular, então ainda ache que pegar uma cabana e fugir pros alpes seja uma opção menos "ruim", mas vamos aguardar.

    eu adoro misturar coisas com a educação também, Jess... quero fazer jornalismo, mas misturar isso de alguma maneira com a educação e um projeto social. ainda estou bolando meus planos malignos aqui!

    você já deu aula? eu sou prof voluntária de um cursinho social chamado Educafro. talvez agora você não tenha mt tempo livre, mas caso tenha, é uma boa procurar projetos assim pra SENTIR a profissão/o hobbie ali, sabe, de perto?

    desistir não é bacana mesmo... tem vezes que a gente chega no LIMITE e tem que se desligar de algumas coisas que não nos fazem bem, mas depende muito do caso. se algo em você pede pra continuar, vai, tá terminando! :}

    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oie
    Lí seu post flor e assim ás vezes me sinto como vc, já pensei tantas vezes na possibilidade de coisas que poderiam ter sido diferentes como por exemplo: se eu não tivesse casado, e se eu não tivesse tido filho, e mais um monte delas, pq tem hora que parece que agente não vai conseguir mas aí existe uma coisa que muitas pessoas hoje em dia estão deixando de lado que é a fé, em acreditar em Deus, só que eu peço p/ Ele me ajudar de alguma forma e qdo isso acontece as coisas começam a acontecer e aí agente vê o quão agente é forte, o quão agente tem forças p/ seguir em frente.
    Eu sou professora de Letras, me formei há 11 anos atrás e p/ ser bem sincera eu só gostava de aulas de inglês nos cursinhos de inglês que consegui entrar, pq dar aulas nas escolas, sendo do estado ou mesmo da prefeitura é dose, é como vc falou, ninguém te dá valor, isso pq p/ vc ser professora efetiva vc tem que prestar concurso e passar e passar bem ainda, fora isso vc ficará como professora substituta quase que p/ o resto da vida e o salário é baixíssimo, aí vc tem que dar aulas em 3 ou 4 escolas no máximo p/ poder ter um salário razoável p/ vc viver, então eu acho que é um trabalho muito desgastante, como web designer vc ganha muito mais do que dar aulas, é claro que vc gosta, que é legal, mas só é legal qdo vc trabalha com crianças pq com adolescentes é horrível, então assim, eu falo do meu ponto de vista, se eu fosse vc eu ficaria com seu trabalho de web designer, trabalharia em casa mesmo e deixaria esse sonho de lado, eu tb sofri muito qdo descobri que não iria conseguir dar aulas e ainda ganhar um dindin bom, chorava quase todo dia por isso mas aí eu parei p/ pensar que a faculdade que eu fiz foi ótima, gostei, foi boa p/ meu currículo mas sinceramente trabalhar com isso não dá, então deixei de lado minha profissão p/ ser crafter, trabalhar com costuras, com artesanato que eu adoro, muito melhor do que ficar sofrendo nas mãos de alunos que não tem o mínimo de respeito por vc e nem por eles mesmos, muito melhor do que ficar sofrendo nas mãos das pessoas que não valorizam o seu trabalho, isso eu falo da minha opinião, jamais eu volto p/ sala de aula, a não ser como aluna se eu encontrar algum curso que me agrade e que dê p/ eu pagar kkkkkk ou então de graça kkkk.
    Mas no final flor, tudo vai ficar bem, tenha fé em Deus, peça p/ Ele te guiar pelo melhor caminho e tenho certeza de que Ele vai te ajudar, pode demorar mas algo de bom vai acontecer, não fique se martirizando por coisas que vc gostaria de fazer e não pode, desistir das coisas é normal mas vc irá encontrar outro caminho que irá te levar a felicidade tb =) todos temos o nosso lugar ao sol =)
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  10. Segue em frente com força, Jess! Acho importante você terminar o que sempre quis, conseguir finalizar essa fase da sua vida. Como você disse: está quase lá. Quando esse ciclo se encerrar, você vai conseguir ter uma visão muito mais ampla e clara do que deseja para o depois. Talvez acabe mudando de área, talvez se dedique apenas ao design ou encontre a valorização que você busca no que realmente quer. O principal é ter a opção de ter essas opções, e pra isso você precisa só de mais um pouquinho de paciência pra superar o agora. Você consegue! E, se o que quer mesmo é desistir, sei que você também vai conseguir uma maneira de contornar os problemas e finalizar a história do melhor jeito possível. Não importa a escolha, você consegue mesmo! :)

    ResponderExcluir
  11. Essa fase é muito, mas muuuito difícil. Mas é preciso ter força pra fazer o que você mesma disse: fechar o ciclo. Nunca terminamos um curso superior com a mesma visão da área que começamos, pra bom ou pra ruim. Eu mesma passei por isso na conclusão da minha graduação em Ciências Sociais e acredito que é melhor o sentimento de fase concluída, de limite vencido, que o alívio que poderiamos sentir por deixar tudo pra lá. Força, Jess! bjbj

    ResponderExcluir
  12. Olá, é a primeira vez que eu entro no seu blog. Eu sou pedagoga e trabalho em uma instituição que creio ter o teto do salário do pedagogo. Tem advogados, engenheiros, arquitetos, que não ganham o que ganhamos por lá. Mas tem o lance: a profissão não é valorizada. Não para o tanto que estudamos. Todos os dias, me convenço que talvez seria mais feliz dando aulas, fazendo projetos e crescendo emocional e espiritualmente com uma turma de alunos. Vejo que o dinheiro tem uma força poderosa, é difícil abstrair do mundo do consumo para o mundo do conhecimento. Mas te digo: se voltasse o tempo, faria de novo. Li muito, me aperfeiçoei enquanto pessoa e adquiri cultura. Creio que poucos cursos nos dão essa oportunidade. Segundo Lacan somos seres desejantes. Sempre desejaríamos ter ou estar em outra situação. A vida vai te apresentar muitas ainda, não desista.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo12.6.14

    Ter a capacidade, de discernimento, de escolha,poder escolher o poder da escolha
    e ter a certeza de livrar de fazer o mal que pagar é certo.Assim como quem escolhe se não estiver apto,ciente e calmo para escolha com certeza a escolha será errada.

    ResponderExcluir
  14. Olá ! Li seu post e concordei bastante... fiz Pedagogia mesmo todos estando contra. E quando terminei a faculdade não tinha noção de como seria minha vida... Aos 21 anos assumi minha primeira matrícula como professora da rede pública e aos 24 a segunda matrícula. Hoje posso dizer que aprendi muito nesta profissão, como não aprenderia em nenhuma outra ! Você amadurece milênios ! rsrs
    Hoje estou com 26 anos e estudando para concursos, pretendo algum cargo de Pedagoga ou Analista. O professor da Rede não vive na miséria não, assim como todos pensam... tenho meu carro, compro minhas coisas, faço as atividades que gosto... Mas sei que não sou reconhecida como deveria e nem ganho quanto deveria ganhar. Mas a experiência com as crianças tem sido ótima ! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que não vive na miséria, mas para mim é muito duro, pois tive uma formação de 6 anos em uma universidade federal, que custou tempo e dinheiro. E atualmente ganho melhor que muito professor trabalhando em uma área da qual tenho formação técnica.

      Isso é que é injusto. Isso que eu não consigo suportar. Por isso que costumo dizer que tenho que ter uma profissão para ganhar dinheiro, porque ser professora pra mim, pelas condições é hobbie.

      Excluir

♥♥♥♥ATENÇÃO ♥♥♥♥

Caso queira receber sua resposta por e-mail, selecione a opção "notifique-me" no canto inferior direito do campo de comentários ;)

Latest Instagrams

© Criativo Caos. Design by FCD.